domingo, 9 de março de 2008

Tramaram-se

O PSOE ganhou novamente as eleições espanholas. Perdeu o PP, claro, mas, acima de tudo, perdeu a Igreja Católica espanhola. Os bispos espanhóis quiseram ir a votos e obtiveram uma resposta inequívoca de uma sociedade que está muito à frente do obscurantismo que pretendiam fazer vingar.

Muito curiosa é a convivência deste activismo político, quase militante, com as passagens dos Evangelhos que dão a César o que é de César. Não é uma realidade de agora, mas não deixa de ser estranho que ainda seja uma realidade nos dias de hoje.

1 comentário:

Helena disse...

Em 1976 a polícia espanhola matou trabalhadores que estavam a fazer uma manifestação.
Aliás, atacou a igreja onde eles se tinham refugiado - é um detalhe, mas é um detalhe interessante sobre o papel da Igreja. E outro detalhe: na Alemanha há famílias estrangeiras a viver dentro de igrejas, porque é a única maneira de evitarem a repatriação. Esse "dar a César o que é de César" tem muitas leituras possíveis.

Mas o que queria dizer neste comentário era isto: dois anos depois do nosso 25 de Abril, a polícia espanhola matava manifestantes. Hoje, nós andamos a fazer o choradinho da nossa democracia tão jovem, e que ainda estamos a aprender, enquanto que a Espanha nos ultrapassou a toda a velocidade. E foi até capaz de se tornar independente das pressões da Igreja Católica.
Clap clap clap para eles,
e nós verdes de inveja cá deste lado.