domingo, 4 de setembro de 2011

O cerco


Ainda mal passaram dois meses de governação e Passos Coelho já meteu na fogueira o seu ministro das Finanças. Depois de repetidamente o termos visto dar a cara sozinho pelo aumento de impostos, hoje tivemos o frete do DN a meter nos ombros de Vítor Gaspar aquilo que é uma responsabilidade colectiva do governo, e do seu primeiro-ministro acima de todos. Com uma capa destas, o ministro das Finanças já sabe o que o espera. O cerco começa em S. Bento. Quando chegar o momento, será o bode expiatório perfeito.

1 comentário:

JPT disse...

O primeiro ministro das finanças de Sócrates também se foi, logo, logo. Recusou-se ao que, obviamente, vinha aí. Convém não esquecer