quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Segunda vida

Há alguns meses, e com o atraso que me é próprio no que toca a estas coisas, alguém me chamou a atenção para esse fenómeno peculiar que é o Second Life. Ora, o primeiro post deste blogue alude a uma segunda vida e, nas mentes mais impressionáveis, pode surgir uma associação que quero desde já repudiar.

A segunda vida a que se alude neste blogue remete para aquilo que os antigos gregos consideravam ser uma condição especificamente humana: a organização política. As duas actividades que integravam o político eram a acção e o discurso, formando assim o bios politikos. Se o poder da acção nos blogues é muito limitado, embora não inexistente, o discurso parece ser, então, a actividade por excelência que este meio possibilita.

E embora os gregos considerassem a persuasão como a implicação lógica do discurso, afastando as formas de violência como meros modos pré-políticos de relacionamento, não se trata aqui, pelo menos neste blogue, de persuadir quem quer que seja. Apenas discorrer como forma de participação política, como actividade e condição exclusivamente humanas.